domingo, maio 30, 2010

Pesquisa inglesa derruba mitos do relacionamento




Claudio R S Pucci

Ao contrário do que o pessoal fala, homens dizem as famosas três palavras "eu te amo" em média após sete meses de namoro. As mulheres precisam de no mínimo oito meses para isso. Quer ficar mais impressionado? Pessoas de mais de 55 anos de idade são o grupo que mais saem em encontros amorosos através de ferramentas online. Tudo isso na Inglaterra, onde revista Stella do jornal Telegraph promoveu uma pesquisa com quase 2.000 homens e mulheres para saber o que o inglês quer de seus relacionamentos e muitos dos resultados derrubam mitos urbanos como os dois citados acima.


Você até pode achar que os homens estão mais sensíveis hoje em dia mas segundo o psicólogo Oliver James, marmanjos tendem a se apaixonar mais do que as mocinhas e são mais propensos a se deixar levar por alguém. Isso porque as moçoilas amadurecem antes e desenvolvem uma atitude mais realista e mais conectada a sentimentos reais. Já a turma masculina em muitas ocasiões em que dizem "eu te amo", na verdade estão tentando lidar com emoções difíceis e complexas que eles não entendem. A declaração acaba funcionando como uma válvula de escape. E com tudo isso, caímos no velho chavão que homens usam amor para conseguir sexo e as mulheres usam sexo para conseguir amor.

A pesquisa inglesa também derrubou alguns paradigmas quando 91% dos homens preferem ter alguém com senso de humor e 85% das mulheres querem um cara bonitão (esperava-se o contrário, o que mostra que o homem inglês é diferente ou sabe mentir bem). Por outro lado, metade dos caras disse que o principal motivo para namorar era conseguir sexo e 1/5 deles conseguem ir para a fronteira final no primeiro encontro contra apenas 5% das meninas.

O que impressionou no resultado do estudo foi o comportamento dos público acima dos 55 anos de idade. Dois terços dele usam serviços online de encontros, contra 1/5 daqueles entre 18 e 24 anos de idade. O grupo sênior também apontou ser o que tem mais relacionamentos de longo prazo com pessoas que eles conheceram na internet e ficou em segundo lugar entre as faixas de idade no quesito sexo com alguém que você conheceu na web (só perdem para o pessoal entre 45 e 54 anos de idade). Os sites de relacionamentos, salas de chat e redes sociais acabam facilitando a vida das pessoas que não sabem aonde ir para conhecer gente e, com isso, os seniores acabam sendo mais experimentais em sua busca por um parceiro.

No Brasil o cenário é bem diferente, já que a internet ainda é de predominância dos jovens. No site Par Perfeito, por exemplo, onde homens e mulheres publicam uma página pessoal na busca pelo parceiro, pessoas acima de 35 anos de idade representam apenas 32% do público total e 41% está entre 25 e 35 anos de idade. Na agência de encontros, Lunch42, que aproxima casais através de entrevistas e métodos de coaching, o cenário é um pouco diferente, mas tende a mudar. Hoje entre seus clientes apenas 5,9% das mulheres e 3,4% dos homens está entre 20 e 30 anos de idade. Já a turma acima de 50 anos representa 23,5% das mulheres e 37,8% dos homens. Segundo Mariana Yamada da Lunch42, neste ano eles estão verificando um aumento na procura do serviço pelo pessoal entre 30 e 45 anos. Trabalhando tanto com recursos online quanto entrevistas pessoais, o Selecto, um site de relacionamento que está no ar desde abril último tem seu público masculino concentrado entre os 30 e 50 anos de idade (81% das pessoas) e 90% das moças tem mais de 30 anos de idade.

É interessante notar que uma pesquisa mundial da empresa Global Market Insite (GMI) de 2006, que entrevistou 17,5 mil pessoas em 18 países, apontou o brasileiro como o internauta que mais usa os recursos online para conseguir sexo casual. Dos entrevistados brazucas, 29% disseram usar a internet para esse fim, mas 32% utilizam para conseguir um relacionamento de longo prazo. Agora resta saber em quanto tempo dizemos "eu te amo" sem segundas intenções.

sexta-feira, maio 28, 2010

Um dia você descobre...

Bom, criei minha própria versão de um dia você descobre direcionado ao público feminino. Posso ser criticado por causa desta minha versão, mas no momento devido ao mundo que estou verificando ao meu redor, é essa impressão que estou tendo.... segue:



Um dia vc descobre que naum precisa usar roupas curtas pra chamar a atencao de um homem, ele soh vai querer se aproveitar de vc

Um dia vc descobre que naum eh a melhor mulher do mundo e que ao contrario do q vc pensava, ele naum esta caidinho por suas qualidades excepcionais de conhecimentos em balada, moda ou assuntos futeis do seu interesse

Um dia vc descobre que aquele homem que vc esnobou sempre por achar tolo eh o que mais provavelmente te faria feliz pelo resto da vida

Um dia vc descobre isso tarde demais

Um dia vc descobre que precisa parar de se achar um produto em uma prateleira esperando os homens a escolherem, provavelmente que se serve dessas prateleiras eh justamente que vai devolver o produto o mais rapido possivel

Um dia vc descobre que ficar fazendo doce soh eh bom para o confeiteiro da padaria

Um dia vc descobre o real sentido da palavra receiprocidade

Um dia vc descobre a importancia de um homem te fazer rir

Um dia vc descobre que todo o mal que fizeste a um homem que naum merecia volta piro e dobrado para ti

Um dia vc descobre que precisa saber cozinhar, passar, lavar, naum por um ato de machismo, mas para dividir as tarefas com seu amor e passar assim momentos agradaveis

Um dia vc descobre que o dinheiro naum eh a coisa mais importante num homem, basta ele ter forca de vontade e vc ao lado dele que ele serah capaz de tudo

Um dia vc descobre a importancia de dar sem receber

Um dia vc descobre que beleza ajuda mais naum eh tudo

Um dia vc descobre que casar soh pelo que o homem pode te proporcionar na questao material de nada vale, pois quando ele naum puder mais te proporcionar isso, ou quando falir de nada vai sobrar

Um dia vc descobre que o bem mais precioso eh o carater

Um dia vc descobre o valor da fidelidade, do carinho e do cuidado.

Um dia vc se arrepende de todos os homens maravilhosos que passaram por vc e que vc nao os quis por nao serem o mais bonitos, os mais bem sucedidos, os com os melhores carros, mas que no final das contas sao os mais felizes em seus casamentos

Um dia vc descobre que eh corna

Um dia vc descobre tudo isso e aprende a escolher melhor suas companhias e buscar

Soh espero que vc naum descubra tudo isso quando naum for possivel descobrir a mais nada.....




Como não podia deixar de faltar, segue um filme para o final de semana..... Ela é demais pra mim.... tenho certeza de q vcs gostarão muito deste filme, eu adorei...... mensagem meio impossivel, rs...... mas vai q acontece? alguém já viu um caso assim?

Primeiro o Trailer:





Agora o filme:

quinta-feira, maio 27, 2010

10 mandamentos para se dar bem com as pessoas

1- Ponha um freio à sua língua e diga sempre menos do que pensa.

Cultive um tom de voz suave e persuasivo.

Muitas vezes toma-se mais em consideração a maneira de dizer as coisas, do que o que se diz.

 

 

2- Faça poucas promessas e cumpra-as, custe o que custar.

 

 

3- Nunca deixe passar a oportunidade de dizer alguma palavra bondosa e animadora para alguém ou a seu respeito.    

Elogie um bom trabalho, sem levar em conta quem o tenha feito.

Se for necessário admoestar, faça-o de maneira construtiva e nunca por despeito.

 

 

 

4- Interesse-se nos outros, em seus propósitos, bem-estar, lar, família.

Alegre-se com os que se regozijam, e chore com os que choram.

Faça sentir a todos por mais humildes que sejam, que os considera importantes.

 

 

 

5- Seja jovial.

Mantenha a fissura dos lábios para cima.

Oculte suas dores, preocupações e decepções atrás de um sorriso.

Ria ao ouvir uma particularidade engraçada, e aprenda a narrá-la.

 

 

6- Mantenha a mente aberta a todas as questões sujeitas a debates.

Discuta, mas sem inflamar-se. É sinal de uma mente superior o discordar e ao mesmo tempo ser amável.

 

 

7- Deixe que as virtudes (e todos temos algumas) falem por si mesmas; e recuse falar dos defeitos alheios.

Não dê lugar a mexericos.

Tenha por norma não dizer nada de ninguém, a menos que seja alguma coisa boa.

 

 

8- Tenha o cuidado de não ferir suscetibilidades alheias.

As agudezas e brincadeiras de mau gosto a expensas de outros podem ferir quando menos se espera.

 

 

9- Não preste atenção aos comentários desagradáveis referentes a sua pessoa.

Viva simplesmente de tal modo que ninguém acredite neles.

Nervos perturbados e má digestão constituem uma causa freqüente de calúnias.

 

 

10- Não se preocupe demais com a recompensa.

Faça bem o seu trabalho, tenha paciência e mantenha uma disposição agradável.

Esqueça-se de si mesmo, e será recompensado.



POR ANO SÃO ENCONTRADOS 609.000 SITES QUE ROUBAM DADOS. VEJA COMO SE PROTEGER AQUI.

quarta-feira, maio 26, 2010

Ai ai......

Vou tirar as teias vou limpar, tirar o velho, deixar novo de novo!Esquecer as lembranças passadas, apagar coisas ruins, tentar respirar, tirar você daqui!Hoje começo um novo caminho; sim, hoje eu resolvi caminhar sem suas pernas me guiando, resolvi viver de novo!Perdi tempo demais ao acaso de nós dois, sempre fui só, nunca fui contigo!Começo agora erguer meu mundo; então só peso que se for possível, tire suas coisas daqui, leve-as consigo; deixe as coisas fora do lugar, pra que assim não me lembra mais de como era antes! Vou começar a esquecer, vou começar a limpar tudo por aqui!






ser único...
as vezes solitário...
as vezes encantador...
as vezes vazio...
as vezes cheio...

sozinho, junto, igual ou diferente...
mais mesmo assim; o que acontece, quando
estamos juntos, sozinhos ou carentes?

ser único...
com muito amor...
com muita dor...
com clamor...
ou com vigor...

preocupado, ignorado, amando ou silenciando...
estou aqui; ainda aqui;
será que vou, será que fico?

terça-feira, maio 25, 2010

Dia dos videozinhos....

Algusn videozinhos legais para este quase meio de semana....

Casar é muito perigo:

video

Contra macumba de namorada:

video

Marido Traido:

video

Aproveitem, videozinhos muito legais.

Não se esqueçam de entrar na comunidade do Teoria do Orkut. Livro senro revisado aos poucos, aguardem novidades.....

segunda-feira, maio 24, 2010

Pensamentos de Efeito



"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis". (Fernando Pessoa)
 
 

Chorar não resolve. reclamar da vida menos ainda.agir é necessário.


Falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo. É amor a sua vida!


Às vezes se dedicar muito aos outros é perca de tempo, o mínimo que esperamos é gratidão. E muitas vezes nem recebemos.


Para qualquer escolha se segue alguma conseqüência, vontades efêmeras não valem à pena, quem faz uma vez, não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze.

Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Mas fundamental. Deixar de lado. Para seguirmos adiante.


Quem te merece não te faz chorar, quem ama cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, se corrija. Não é preciso perder pra aprender a dar valor, as pessoas q nos amam e família são tudo.E os amigos ainda se contam nos dedos.


Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela.


Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.


Por isso não desista de seus sonhos e viva sorrindo e cantando, pois a cortina da vida pode se fechar sem aplausos...





POR DIA 63.912 COMPUTADORES SÃO INFECTADOS POR VÍRUS. LEIA DICAS DE SEGURANÇA.

domingo, maio 23, 2010

Infidelidade: biologicamente natural, moralmente questionável

Claudio R S Pucci

No dia 24 de novembro, o jornal Correio Brasiliense trouxe uma matéria sobre a infidelidade dos habitantes da capital federal, baseado num estudo conduzido na Universidade Católica de Brasília como tese de doutorado de Alexandre Damasceno. Segundo a pesquisa, que entrevistou 1521 pessoas no Distrito Federal, 18,3% dos homens casados de lá tiveram relações sexuais foram do matrimônio e 11,2% das mulheres já pularam a cerca, alegando os mais diversos motivos para as escapadas como estarem sempre distantes do parceiro, brigas de casal, diferenças no apetite sexual, horários incompatíveis e até mesmo o fato da moça estar amamentando ou grávida.




O mais engraçado é que o índice de Brasília ainda é baixo em relação ao resto do país. Um famoso estudo conduzido pela médica Carmita Abdo entre 2002 e 2003 mostrou que entre os brasileiros, uma média de 50,6% dos homens trai suas parceiras, enquanto no público feminino esse índice é de 25,7%. Só por curiosidade, os estados campeões de infidelidade masculina são Bahia em primeiro lugar com mais de 60% dos cabras-macho aprontando, Pará em segundo e Ceará em terceiro. São Paulo está em último lugar em índice de traição com Pernambuco em penúltimo e Santa Catarina seguindo. Já entre as mulheres, as mais traidoras segundo o livro são as cariocas, seguidas pelas gaúchas. O Pará e Santa Catarina possuem as moças mais fiéis (ou que menos aprontam, porque estamos falando em uma porcentagem mínima na casa dos 20%).

Os tempos são outros e resta a pergunta: o que é traição?

A pesquisadora já declarou em entrevistas que por sermos habitantes de um país muito erotizado, acabamos incorporando o relacionamento extraconjugal na nossa cultura, mesmo que não seja isso que as pessoas realmente almejem. Se formos analisar historicamente, nos tempos de nossos avós era muito comum que um homem tivesse amantes, mesmo porque prevalecia a idéia que existiam mulheres para casar e mulheres para se transar. É a famosa frase de Robert De Niro no filme A máfia do divã, onde quando abordado porque ele transava com garotas de programa se era casado, o mafioso diz: "Ei, a boca da minha mulher é que dá beijo de boa-noite nas crianças". Ou seja, as Amélias não poderiam fazer certas coisas na cama (sexo oral, por exemplo) e os maridos iam satisfazer suas fantasias fora.

"Hoje em dia existem mais oportunidades para se trair quando comparado a décadas atrás", afirma Maria Cecília Micheloti, psicoterapeuta e psicóloga que atende muitos casos onde a traição ronda relacionamentos. "Existem mais meios para isso e também o fato de que hoje a mulher está integrada no mercado de trabalho", complementou. Isso é um fato interessante: passamos mais tempo com interessantes colegas do que com nossos parceiros e assim, a tentação acaba sendo grande. Junte-se isso à revolução sexual, que liberou as moças para procurarem o seu prazer na relação e a infidelidade tomou outro aspecto. Antigamente um homem pular a cerca era até estimulado e aceito pelos motivos que já abordamos. Atualmente, ele vai encontrar o que procura em uma moça de família.

Por outro lado, a mulher tem direito ao orgasmo e o prazer sexual, assim como companheirismo, cumplicidade e amor e se o parceiro falhar em qualquer um desses itens, ela seguramente "entrevistará" outros candidatos. Mudaram também as prioridades femininas. O sonho de toda mulher há 50 anos era casar, ter seu lar e procriar. Hoje isso caiu para segundo plano e é mais fácil ter relacionamentos light e sem profundidade do que enfrentar os medos que a relação traz. Segundo a Dra Micheloti, muitas mulheres hoje não ousam entrar em algo mais profundo e driblam a vida a dois, especialmente aquelas que trazem algum trauma sentimental e acha que curar essas dores é muito difícil.

Homens e mulheres traem por motivos diversos

As mulheres também mudaram sua opinião sobre trair e ser traída. Não toleram mais a traição tão facilmente (mas perdoam mais), não abaixam mais a cabeça quando são chifradas e também não se sentem mais tão culpadas quando traem, especialmente se for um marido infiel. Essa vingança contra um traidor é um dos motivos que norteia a decisão das moçoilas em dar suas escapadas, assim como a procura pelo novo, a carência afetiva e até mesmo oxigenar a relação. E, em muitos casos, elas acabam se envolvendo afetivamente com o amante.

Tradicionalmente e culturalmente, a visão do homem traidor está intimamente ligada a um ar de promiscuidade masculina. Homens traem por diversos motivos, mas na sua grande maioria, consegue ficar apenas no sexo. E é por isso que quando um homem descobre que foi chifrado, seu mundo desaba e é preciso muita maturidade e estrutura para conseguir perdoar. O traído é atingido em cheio em seu ego de macho poderoso, tem o orgulho ferido e se sente o mais impotente dos seres humanos. "Quando um marido traído consegue elaborar a traição de sua esposa e superá-la, ainda vai enfrentar o preconceito dos amigos e das amigas. Porque uma reação exacerbada, violenta, é esperada daquele indivíduo, do mesmo jeito que é esperado que uma mulher perdoe o rapaz traidor", afirmou Maria Cecília.

Lembremos que existem também atenuantes para a traição. Obviamente que os traidores natos estão por aí, mas em alguns casos podemos ser empurrados para uma infidelidade, ou seja, a própria parceira cria circunstâncias para ser traída, através de falta de diálogo, incapacidade da namorada/esposa de rever certas atitudes, passividade etc. Não é norma de conduta, mas muitos homens (e algumas mulheres também) correm atrás de um terceiro vértice para chegar à conclusão que a esposa é o grande amor da sua vida.

E antes que sejamos totalmente detonados com essa imagem de pessoas sem moral e ética nos relacionamentos, convenhamos que o macho mudou. Aquele cara grosseiro e machista de outros tempos está perdendo a força e o homem com H está tentando encontrar seu caminho. Se há alguns anos, mulheres eram a grande massa nas salas de terapia, atualmente o público masculino cresceu enormemente sua participação e com uma vantagem: homens, por serem mais objetivos, acabam se abrindo mais e profundamente frente a um psicólogo que suas contrapartes femininas, contrariando o mito de que homem não fala.

E no caso de uma traição, o melhor é agir como os americanos descritos no livro Na Ponta da Língua de Pamela Druckerman que contam para o parceiro ou parceira seu ato vil e agüentam o exílio social ou ser como os franceses que adotam a política do ¿não pergunte, não conte"? "Não há regra para isso e cada casal tem sua dinâmica para lidar com esse assunto, mas temos que sempre lembrar que a maioria das pessoas não consegue lidar bem com a verdade. E também que se a pessoa tem a necessidade de falar, tem que estar consciente dos riscos", alerta a psicóloga Maria Cecília. Talvez nesses casos o aprendizado trazido pelo ato, será mais rico e edificante do que ficar soltando o verbo por aí.

A ciência diz que monogamia é antinatural, mas necessária

O biólogo evolucionista e professor de psicologia da Universidade de Washington, David P. Barash, lançou recentemente um livro chamado Strange Bedfellows: The Surprising Connection Between Sex, Evolution and Monogamy (Estranhos parceiros de cama: a conexão entre sexo, evolução e monogamia) e afirma que instintivamente não deveríamos ser monogâmicos, já que na natureza esse conceito é raríssimo. Até mesmo os famosos pingüins imperador, que estrelaram um filme sobre sua marcha e que se tornaram símbolos da fidelidade, não são tão santos assim. Na verdade são fiéis por uma temporada, porque no ano seguinte, querem uma nova parceira. Albatrozes e cisnes também não são monogâmicos como se pensava. Interessantemente, o rato californiano, o rato-saltador-gigante de Madagascar, o castor e o sagüi pigmeu o são, justamente para que dois animais cuidem de sua ninhada e construam lares. E é aí que reside uma das vantagens em ser monogâmico no homem: a criança ganha com o esforço duplo dos pais e cresce mais confiante quando os dois estão por perto. Além disso, a relação a dois ativa neurônios ligados à empatia, atuam no sistema hormonal, fazem com que o sexo seja mais satisfatório (na maioria dos casos) e isso sem contar o incrível e indescritível significado do amor.

Enfim, monogamia e fidelidade não são coisas fáceis de manter. Talvez sejamos como a descrição que o pensador grego Plutarco fez de César: "ele ama a traição e odeia os traidores". Ou deveríamos encarar a infidelidade de uma maneira menos emotiva. No filme Tudo bem no ano que vem de 1978, baseado em uma peça teatral, um casal se encontra anualmente, no mesmo feriado, em um hotel à beira-mar para um fim-de-semana a dois. Cada um tem seu próprio parceiro, mas aqueles dois dias os preparavam para mais um ano como um bom marido e boa esposa, tanto que sempre eles tinham que responder a duas questões: "qual foi a melhor coisa que seu marido/esposa fez durante o ano e qual a coisa mais ridícula que fizeram". Nesse caso é a infidelidade trabalhando em nome da monogamia. Parece complicado. E é.

Especial para Terra

sexta-feira, maio 21, 2010

Homens mentem mais e com menos culpa que mulheres, diz pesquisa.

O estudo aponta que cada homem mente cerca de três vezes por dia, o que resulta em 1.092 mentiras anualmente

Uma pesquisa que analisou os depoimentos de três mil britânicos concluiu que homens têm maior propensão a dizer mentiras e se sentem menos culpados em mentir do que mulheres.

O estudo indicou que cada homem britânico mente em média três vezes por dia, o que equivale a 1.092 mentiras por ano.

Já as mulheres parecem mais honestas: segundo a enquete, as britânicas mentiriam em média duas vezes por dia, ou 728 vezes por ano.

A pesquisa foi encomendada pelo Museu da Ciência (Science Museum), em Londres, para marcar a inauguração de uma nova galeria.

Chamada Who Am I? (em tradução livre, "quem sou eu?"), a nova galeria é dedicada às ciências do cérebro, genética e comportamento.

Mães
Segundo os depoimentos, a pessoa a quem o britânico tende a contar mais mentiras é sua própria mãe.
Um quarto dos homens (25%) admitiu ter mentido para a mãe, em contraste com apenas um quinto (20%) das mulheres.

Mentir para o parceiro ou parceira, no entanto, parece menos comum entre os britânicos: apenas 10% admitiram fazer isso.

Perguntados sobre o tipo de mentira que contam com mais frequência, os homens entrevistados disseram que a mais comum é dizer que não beberam muito.

Entre as mulheres, a mentira mais comum é a clássica "está tudo bem", usada com frequência para esconder seus sentimentos.

As mulheres se revelaram mais propensas a sentir culpa após dizer uma mentira: 82% delas disseram que a mentira pesa em sua consciência, em contraste com 70% dos homens.

Existe uma mentira aceitável? A maioria, 82%, acha que sim. Por exemplo, mentir para proteger alguém é perfeitamente aceitável para 71% dos entrevistados.

E 57% disseram que mentiriam a respeito de um presente de que não gostaram para não ofender quem lhes presenteou.

Com relação à qualidade da mentira, 55% dos britânicos entrevistados acham que as mulheres contam mentiras melhores, embora mintam menos.

Uma das curadoras do Museu da Ciência Katie Maggs, disse que não há consenso sobre possíveis origens genéticas, evolutivas ou culturais da mentira.

"Mentir pode parecer uma parte inevitável da natureza humana, mas também tem um papel importante nas interações sociais", disse Maggs.

Fonte: BBC


E pra não deixar o final de semana em branco, um filminho pra galera repensar seus relacionamento, tirando a parte cômica existem boas dicas de como sair da mesmice e como resolver os problemas a dois.... aproveitem......


quinta-feira, maio 20, 2010

Enquete

Pessoas, segue abaixo sugestões de capas apresentadas pela consultora de arte. Gostaria da opnião d vcs se possivel no comentário, pode ser anônimo mesmo, visto que muitos preferem não se identificar....rs... mas preciso da opnião pra saber qual é a mais interessante, sugestões também são bem vindas. CLique nas fotos pra ampliarem.

Foto 1


Foto 2


Foto 3


Foto 4



Pra não passar em branco vamos colocar uma apresentação divertida....

quarta-feira, maio 19, 2010

Quer um casamento feliz?

Tenha um marido que ajude em casa, diz a pesquisa.

Por Michelle Achkar




O segredo para um casamento feliz passa longe do romantismo e das demonstrações de paixão, segundo um estudo realizado na Inglaterra. A questão tem a ver com questões domésticas e no quanto os homens ajudam em casa. A informação é de um levantamento da London School of Economics, que monitorou 3,5 mil casais que tiveram filhos em uma semana específica na década de 1970.

A relação foi acompanhada com pesquisas periódicas sobre o quanto o parceiro masculino dividia tarefas como cuidar da casa, das crianças e fazer compras. Mais da metade não ajudava ou realizava apenas uma tarefa. Um quarto afirmou fazer duas atividades domésticas, e o outro quarto, três ou quatro.

Os resultados desse levantamento foram então cruzados com o índice de divórcios, que foi de 7% após 10 anos de casamento e de 20% depois de 16 anos de união. Segundo os pesquisadores, a relação entre ajudar em casa e a manutenção da relação foi clara. "Os resultados sugerem que o risco de divórcio, ainda que maior entre mães que trabalhavam fora, foi muito reduzido quando os pais contribuíam mais nas tarefas da casa e nos cuidados com a criança", afirmou Wendy Sigle-Rushton ao jornal inglês "aily Mail"

Segundo a pesquisadora, apesar das mudanças comportamentais ocorridas desde então, como a maior participação da mulher no mercado de trabalho, a informação é importante no que diz respeito à presença masculina no ambiente doméstico. Já em outros estudos recentes, as mulheres solteiras dedicam, em média, sete horas semanais em tarefas domésticas, enquanto as casadas ou que moram com os companheiros passam mais de 12 horas nas mesmas funções. A média entre os homens é de cinco horas semanais.

terça-feira, maio 18, 2010

Segunda Chance

por Mônica Vitória

Casou, separou, voltou: cometendo o mesmo erro ou reacendendo o amor?





Nádia* casou-se cedo, aos 19 anos. Ela afirma que não sabia muito bem se o que estava fazendo era a escolha certa. Pedro*, seu noivo, parecia um ótimo partido, uma pessoa honesta, com boa índole e se dizia louco por ela. O casamento foi bastante simples, a noite de núpcias foi quase um desastre, mas a convivência nos quatro anos seguintes mostrou-se tranqüila para ambos até que Nádia, grávida, começou a desconfiar da fidelidade do marido, que saía constantemente à noite. Quando ameaçou dar um ultimato a Pedro, surpreendeu-se com uma agressão física. Após seis meses, ela pediu o divórcio.

Arrependido, ele reapareceu um ano depois, fazendo juras de amor e prometendo mudar seu comportamento. A mágoa já não tinha tanta força, ela não resistiu aos pedidos de Pedro. Resolveu perdoar e voltar para o ex-marido. "Pedro prometeu que dessa vez seria diferente e que me amava muito para viver longe de mim. Realmente, não tive mais conhecimento de possíveis traições e ele não encostou mais o dedo em mim com violência", revela Nádia.

Apesar de ter falhado na primeira, o casal voltou com mais vontade de ficar junto. "Aos poucos, o amor que sentia foi reacendendo e ficando até maior do que antes. Era como se tivéssemos acabado de nos conhecer, um recomeço de verdade. Depois de um tempo, ele me pediu em casamento outra vez e eu aceitei. Acreditava que ninguém mais poderia nos separar novamente", conta.

No entanto, nem tudo foram flores. Depois de mais cinco anos juntos, as brigas se tornaram cada vez mais freqüentes e Nádia resolveu, em 2003, largar o marido pela segunda vez. "Não agüentava a estupidez dele. Ele se mostrava uma coisa no início e depois agia de outra forma. Não respeitava a mim nem ao nosso filho, me agredia verbalmente e às vezes até fisicamente. Eu vi que estava me iludindo achando que ele mudaria, decidi que não permitiria mais ser enganada nem que eu enganasse a mim mesma", confessa ela, que mora há um ano com outro parceiro.

“Ele é o homem da minha vida. Jamais me perdoaria se tivesse deixado-o escapar mais uma vez. Acho que este tempo separado não destruiu nada do que a gente tinha e só serviu para crescermos e nos aprimorarmos”

A história de amor de Nádia e Pedro não teve um final feliz, mas é apenas uma entre muitas que poderiam ter dado certo, se o futuro atendesse às esperanças de casais que se dão uma segunda chance após uma separação. Assim como Nádia, a professora Adriana Fontes, de 29 anos, seguiu o coração e concedeu uma nova oportunidade para um ex-noivo, que hoje é seu marido. "Namorávamos desde 1999 e éramos muito apaixonados. Mas assim que ficamos noivos ele teve que mudar de estado a trabalho e não tinha condições de viajar com freqüência para me ver. Apesar de amá-lo, não resisti às saudades, à distância e ao ciúme, e chegamos à conclusão de que seria melhor dar um tempo", diz Adriana.

O noivo relutou de início, mas quatro meses depois de ir embora já estava saindo com outra pessoa. "Fiquei muito chateada quando soube, mesmo que a gente não estivesse mais junto. Ele sempre dizia que estava apenas tentando me esquecer, e que no fundo ainda me amava, mas meus amigos enchiam a minha cabeça contra ele. Só que, dentro de mim, eu sabia que ele estava sendo sincero e que eu também só queria ficar com ele", explica.

Adriana procurou sair com outras pessoas, mas a cabeça e o coração permaneciam na lembrança do ex. Quatro anos se passaram, ele pediu demissão do emprego e voltou à cidade de Adriana. Quando se reencontraram, tudo voltou a ser como antes: "Sentimos no olhar um do outro toda aquela paixão de novo. Não teve jeito. Reatamos e marcamos a data do casamento no ano seguinte", conta a professora. "Ele é o homem da minha vida. Jamais me perdoaria se tivesse deixado-o escapar mais uma vez. Acho que este tempo separado não destruiu nada do que a gente tinha e só serviu para crescermos e nos aprimorarmos", relata.
Íngrid*, de 48 anos, também tentou reviver uma relação que tinha acabado. Já divorciada, ela acreditava que tinha finalmente encontrado o amor de sua vida em outra pessoa, com a qual ficou casada por oito anos. "No início foi tudo perfeito. Eu estava totalmente apaixonada, achando que ele era o meu príncipe encantado. Porém, depois de uns três anos, começaram as dúvidas, brigas, telefonemas esquisitos. Isto acabou com a nossa relação", destaca Íngrid.

Ingrid apostou na mudança do amado e se arrependeu. "Ele é um homem muito sedutor e mulherengo. Da primeira vez que soube de sua pulada de cerca ainda não vivíamos juntos. Meu mundo caiu! Sabia que ele era assim, mas resolvi apostar na mudança, crendo que, por me amar, ele iria mudar. É óbvio que isto não aconteceu e nos separamos depois que soube que ele estava com uma outra mulher que morava perto de nós", afirma.

Íngrid acreditava que deixar o parceiro livre para viver aquela paixão seria mais inteligente de sua parte e pouparia um sofrimento maior. A separação ocorreu de forma tranqüila e o ex continuou ajudando-a nas despesas com o filho de seu primeiro casamento. Para se recompor, Íngrid voltou a estudar, sair com amigos e conhecer novas pessoas. "Senti o gosto da liberdade e adorei. Relacionei-me com vários homens, mas sem trazê-los para minha casa, para proteger meu filho. Mas não conheci ninguém nesta fase que superasse as qualidades do meu ex-marido", revela.

"Depois de três anos ele se separou. Nunca perdemos o contato e, por motivo de doença na família dele, nos reaproximamos mais rápido e intensamente. Aos finais de semana, passamos a sair à noite. Ele voltou a frequentar a minha casa e meu filho adorou". Depois de um ano, contudo, Íngrid levou um novo balde de água fria: "Recebi um telefonema da ex-mulher dele, dizendo que ele estava querendo voltar para ela. Nós nos encontramos, conversamos e eu cheguei à conclusão de que ele não tinha jeito mesmo. Saí de cena novamente. Porém, não da mesma maneira. Estou mais forte e acho que de certa forma já esperava isso", conclui Íngrid.

“O casal pode se gostar muito, mas não se dá conta do que é o conviver, de que ambos trazem facilidades e dificuldades que a vida lhes deu anteriormente, e muitas vezes tudo isso prejudica o avanço da relação”

Hoje, os dois continuam amigos e, apesar de descrente de relacionamentos amorosos, Íngrid se diz bastante amadurecida com o que passou. Tanto ela quanto Nádia acreditaram que um casamento poderia dar certo depois de já ter dado errado. Será que a decisão de se dar uma "segunda chance" a um parceiro não passa de persistência no erro? Ou será que relacionamentos podem ser "reciclados" e é possível reconquistar a felicidade depois de muito tempo ou de traições? Será que o amor de verdade resiste às separações e mágoas?

Fazendo certo

Para o psicólogo Paulo Bonança, a "segunda vez" pode, sim, ter um final feliz, principalmente porque o casal está mais maduro emocionalmente e já consegue perceber seus erros e acertos na primeira relação. "O rompimento é como um luto, em que os parceiros podem refletir sobre o que aconteceu durante o relacionamento. Este momento serve para que eles se perguntem qual a participação de cada um naquilo que não teve sucesso. Com isso, ocorre um crescimento, o casal 'se atualiza', o que até facilita a reaproximação, e pode até pensar: 'Peraí, temos tudo para dar certo'", observa Paulo, que afirma que é comum a pessoa tentar solucionar algo seu no outro.

Segundo ele, o relacionamento é um processo que envolve aspectos regressivos que podem pesar demais no desenvolvimento da relação: "Quando se inicia este processo, muitas coisas vêm inclusas, como fatores atuais, fatores do passado e espectativas para o futuro. O parceiro vai ter que lidar com reações da sociedade, com a família e com o passado do outro. O casal pode se gostar muito, mas não se dá conta do que é o conviver, de que ambos trazem facilidades e dificuldades que a vida lhes deu anteriormente, e muitas vezes tudo isso prejudica o avanço da relação", explica.

É fato que algumas pessoas, como Íngrid e Nádia, se magoam com determinadas atitudes dos parceiros e acabam dando uma nova oportunidade para a relação na esperança de que o outro mude seu comportamento ou até mesmo sua personalidade. "Nesse caso, é preciso se perguntar se gosta do parceiro do jeito que ele é, ou se gosta de como ele poderá ficar depois que mudar. Muitas vezes é esta pessoa que deseja a transformação do outro que precisa mudar seus padrões de felicidade e de escolha", ressalta o psicólogo.

Paulo Bonança destaca, ainda, que a chave para o sucesso de quem quer tentar novamente ser feliz com o ex (ou mesmo com um novo par) é sempre o diálogo: "Conversar é fundamental. Mas é preciso conversar de verdade. Muita gente se fala, mas não se comunica. Finge que sabe tudo do outro e que o outro sabe de tudo também, e fica por isso mesmo. Assim, assuntos sérios que devem ser abordados acabam virando tabus. O casal não pode ter medo de conversar sobre qualquer tema, principalmente quando o tema envolve os dois. E ter a ver com os dois é ter a ver com cada um", completa.

* Os nomes foram alterados a pedido dos entrevistados.

segunda-feira, maio 17, 2010

Promete?

Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento a igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre:

"Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?"

Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?

- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?

- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?

- Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?

- Promete se deixar conhecer?

- Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?

- Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?

- Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?

- Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?

- Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?

Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declaro-os maduros.

Escolha o seu amor. Ame a sua escolha !"

Mário Quintana


domingo, maio 16, 2010

Olhos




Por André Lenz - 12/03/09

No exato instante em que ela disse as poucas palavras foi que senti o frio. Não um frio causado por temperaturas climâticas ou termodinâmicas, mas aquele frio intenso correndo por todo meu interior quase que congelando por inteiro a aorta do meu coração.
Um misto de festa de final de ano com presente fora de época invadiu meus pensamentos e por aquele misero instante só consegui mirar em seus olhos e sentir a profundeza de sua alma.
Emudeci estático como se tivesse esquecido todas e qualquer palavra que um dia aprendi, mas ao mesmo tempo não precisava dizer nada pois meu olhar estava mais cheio de emoções que uma coleção inteira de Willian Shakespeare e a serenidade da minha face já dava idéia de tamanho sentimento.
Na comunicação um olhar é mais sincero do que as palavras, mais verdadeiro, e ali estavamos nós dois conversando sem nada a dizer, sentindo um ao outro e recebendo apenas um olhar.
Foi então que o tempo parou e o relógio pendurado do outro lado da sala não mais espalhava o barulho dos ponteiros pelo ambiente. As corujas mantiveram sua ultima piada ali na árvore perto da sacada. O rosto dela ficou quase que um busto de uma deusa grega e naquela fração de segundo eu consegui ver.
Vi seus lábios semi carnudos roseados apenas por um desses cosméticos discretos, seu cabelo com alguns fios perdidos por entre sua testa branca e delicada. Seus olhos eram portais deixando o mais profundo poço a menos de um palmo de distância enquanto se dirigia direto a mirar meus lábios.
E no momento em que o tempo voltou a andar senti um impulso e coloquei minha mão sobre a dela, mas não de uma vez, dedo por dedo foi galgando aquela pele suavemente suada pela intensidade do momento.
Olhei em seus olhos e depois olhei para seus lábios que estavam acolhidos porque ela estava a morder gentilmente seu lábio inferior numa legitima demonstração de desejo. Minha cabeça levemente inclinou-se próxima a sua, suficiente para que eu pudesse colocar minha mão em seu pescoço, por trás dos cabelos, e no mesmo instante senti-la arrepiar-se.
Beijei seu pescoço e ela sentiu minha respiração aproximar-se cada vez mais, na bochecha, no canto do lábio e enfim ficar frente a frente com sua boca.
Levemente encostei meu lábio no seu como que com gostinho de quero mais até que por um impulso ela com sua mão em meu pescoço me puxou a um ardente beijo de lingua.
Nossos olhos fechados, nossas bocas entrelaçadas e apenas aquele momento no mundo todo pois o resto não improtava mais.
Silenciosa e vagarosamente nossas bocas se soltaram e olhando em seus olhos pude completar aquelas palavras ditas por ela que desencadearam todo nosso momento.
E com a lua cheia mais brilhante no céu como testemunha eu apenas disse:
- Pra sempre....e sempre......
Uma noite, poucas palavras, um mundo e uma vida inteira para descobrir a felicidade.

sexta-feira, maio 14, 2010

Final de Semana Chegando......

Bom pessoal, final de semana por ai e nada melhor do que colocarmos algumas coisas legais aqui no blog......

Primeiro não podia deixar de fazer propaganda do Janpar 2010, segue cartaz abaixo.....
Este ano teremos uma dramatização muito legal com o tema em evidência no cartaz.... Quer ir? pergunte-me como.... para casais e solteiros também, vale a pena..





Além disso segue um PPS muito show pra vc entrar no final de semana com aquela sensação gostosinha de amor e reflexão.....



Bom, não podia deixar de colocar um filme para o final de semana, e o escolhido da vez é o tão edificante "Prova de Fogo".
Filme lindo, muito bom para casais que dá uma outra perspectiva a respeito de relacionamento a dois......Um dos filmes mais reais que vi a respeito. Muitas vezes em Hollywood só temos aqueles filmes meio mentirosos com coisas meios dificeis de acontecer, rs.... mas o q chamou a atenção neste filme é o qual real ele pode ser e como existem casais que estão numa situação parecida e que se identificam com isso.
Além disso serve para cada um de nós avaliarmos como tratamos os outros.
Enfim, aproveitem.....




Quanto a mim, não que seja interessante, mas sigo desanimado e conformado com essa situação longe de ser resolvida.....

quinta-feira, maio 13, 2010

Amor: escolha ou destino?



Existe uma forte tendência de as pessoas acharem que o amor acontece quando elas bem entendem, o que não deixa de ser uma verdade. Nós não temos domínio sobre ele. O amor é selvagem e se manifesta no seu tempo, para cada um de nós. Assim, dizer que é uma questão de destino faz sentido. Resta-nos ter humildade para esperar que um dia ele venha.


Quantas vezes você acha que está no ponto, que quer muito encontrar um par, mas, entre querer e encontrar alguém há uma grande distância. Pode ser que você tenha saído de um relacionamento tumultuado e traumático e sua alma ainda não esteja pronta para amar novamente. Pode ser que seu coração esteja fechado e você não se dê conta disto. Noutras vezes você tem medo de se envolver por tantos outros motivos, quer seja por desconfiança ou por pura repressão. Neste caso, prefiro não colocar a culpa no tal do destino. Mais fácil entender que a escolha é sua; consciente ou não, você impede que o amor aconteça.

Encontrar uma pessoa especial, com quem você tenha muitas afinidades, não é assim tão freqüente. Por isto, diante dela, é fundamental que você faça sua parte. Você fica alerta, de olhos e coração bem abertos. O destino se encarrega de oferecer as oportunidades, mas você é o grande responsável por aproveitá-las ou não!

Não coloque tantos “poréns”, não seja tão perfeccionista, não marque gol contra, não jogue areia, nem boicote as possibilidades quando elas aparecem. Dê uma forcinha, saia de casa, frequente os lugares compatíveis com o que você quer. Pare de colocar barreiras. Reconheça o quanto você é presenteado a todo o momento. Saiba receber.

Saiba também que tudo o que você precisa e quer fica mais acessível quando você substitui a frase “O que eu tenho a ganhar com isto?” pela frase “Em que posso ajudar?”. Assim, você faz sua parte, abre a porta, e deixa o amor entrar.



Sergio Savian

quarta-feira, maio 12, 2010

Surpreenda-me

Calma!!!! Está trêmula...

Sinto teu peito ofegante, coração pulsando acelerado,
não tenha pressa...
Vem dançar comigo bem coladinho e se aconchega no meu corpo,
mãos soltas e atrevidas...
Vou sussurrar bobagens no teu ouvido
quero sentir teu corpo estremecer, te quero extasiada...
assim, denunciada...
Sente como estou quente,
minhas pernas já quase entrelaçadas nas tuas...
Aproveita este momento e dá vida as tuas fantasias,
ultrapassa teus limites, me beija a boca com todo este desejo louco, sentido...desmedido.
Melindrosamente te resisto...
Tenta-me...
Vem...
Sou teu céu aberto...
Surpreenda-me...

terça-feira, maio 11, 2010

Descubra as vantagens e desvantagens da amizade entre homem e mulher




Por Claudio R S Pucci

Desde que Billy Cristal disse que homens não conseguem ser amigos de mulheres sem haver algum tipo de interesse sexual, há 20 anos, no filme Harry & Sally - Feitos um para o outro que os psicólogos americanos e as revistas especializadas estão tentando desvendar essa lenda urbana.

E não é para menos. Dificilmente você assiste a um filme romântico ou a um seriado de TV onde há apenas a amizade entre os dois sexos, sem acabar em romance como, por exemplo, Chandler/Mônica e Ross/Rachel em Friends, Zac e Miri em Pagando bem que mal tem e até mesmo no clássico de Rob Reiner, já citado.

Se homens e mulheres são de planetas diferentes, então uma relação de amizade entre os dois apresenta variadas facetas, tão complexas como em um relacionamento amoroso. Conheça aqui algumas delas:

Existem os que acreditam e os que não
Segundo o site Psychology Today, a idéia de que homens e mulheres não podem ser amigos íntimos vem de tempos antigos, onde as moças ficavam em casa e os machos no trabalho e a única maneira que eles conseguiriam se relacionar era através de um romance.

Os tempos mudaram e um estudo feito na Universidade de Oxford mostrou que três em cada quatro homens entrevistados mantinham amizades platônicas com mulheres.

A empresária Martha Maria é uma dessas pessoas que acham que é quase impossível uma relação dessas sem segundas intenções: "Todos os casos de amizade próxima que conheço acabam em algum rala e rola ou seja, não é amizade real. Acho que é fácil dizer que se é amigo de um homem quando não se tem a proximidade é por email, msn ou quando se vê uma vez ao mês. Quando se tem contato frequente e ambos são solteiros ou não casados acho que a amizade acaba sendo superada pela atração sexual, carência, necessidade física".



Homens valorizam a amizade com as mulheres
A pesquisa de Oxford mostrou também que o principal motivador para os homens nesse tipo de relação é o fato de se sentirem mais confortáveis em desabafar seus problemas mais pessoais a mulheres do que a seus amigos.

Isso porque existe algo inerente no sexo masculino: a competitividade. E se sentir mais vulnerável frente a um potencial concorrente pode ser um grande perigo.

Outro estudo afirmou que o público masculino coloca a amizade com uma mulher em primeiro lugar em termos de vantagens, enquanto o público feminino posiciona a relação com suas amigas como mais importante.

De certa maneira, a prova a máxima que diz que mulheres não têm círculo de amizade e sim formam sindicato como comprova a paulistana Vivien Jarola: "Eu acredito numa amizade sem segundas, terceiras ou quartas intenções entre homens e mulheres, mas a relação que tenho com minhas amigas é sagrada".


É preciso definir os limites
O doutor Don Meara, da Universidade de Cincinnati, até movido por uma amizade feminina resolveu se aprofundar no assunto e trouxe alguns pontos interessantes. Um deles é que no geral o amor platônico existe. Não é difícil imaginar o porquê.

A afinidade que se forma entre os dois sexos está relacionada especialmente ao fato dos dois terem pontos em comum em gostos, pensamentos e ideologias. O primeiro desafio é definir que tipo de relacionamento terão, ou nas palavras de um apresentador de TV, é namoro ou amizade?

Por sermos parte da espécie humana tão cheia de desejos e comportamentos contraditórios, é óbvio dizer que sempre haverá tensão sexual. Um estudo publicado no Journal of Social and Personal Relationships abordando 150 profissionais mostrou que é ela que mais incomoda as mulheres no local de trabalho. Já os homens afirmaram que o desejo sexual é o maior motivador para iniciar uma amizade.

Só que tudo isso tende a desaparecer com o decorrer do tempo e mesmo se a coisa começou como uma paixão, pode acabar em um relacionamento onde sexo não dá as cartas.

Luciana Dalle, de 35 anos, acredita que nessas horas a mulher tem que impor os limites. "Tenho dois grandes amigos que eram meio descarados no início da amizade e com o tempo mostrei que do meu mato não sairia coelho nenhum. Preferi a amizade eterna que uns pegas e depois nada mais". Já Vivien justifica de outra maneira (que, aliás, é terrível para um macho de respeito escutar): "Eu tenho um grande amigo, que, apesar de não ser gay, não o encaro como um homem, se é que você me entende".

Quando sexo entra na história
Apesar de sexo não ser o nome do jogo, já que muitas vezes vemos que as qualidades que admiramos em uma pessoa amiga não necessariamente se traduz em o que queremos numa relação amorosa, em alguns casos ir para cama com um amigo ou amiga acaba fortalecendo a relação.

Em uma pesquisa feita na Penn University com 300 estudantes, 67% afirmaram que transaram com alguém que mantinham uma relação de amizade e destes 56% declararam que a coisa não se transformou em romance e que a amizade se manteve.

Obviamente que é um risco, especialmente se um dos lados tem uma paixão ou expectativa amorosa maior do que o outro. O paulitano de 44 anos, Marcelo Vaz, é um que afirmou que suas melhores amigas atuais começaram como casos eventuais e migraram para algo mais maduro e construtivo.

A amizade como consultoria
A Dra Kathy Werking da Eastern Kentucky University e autora do livro "We're Just Good Friends" (somos apenas bons amigos) acredita que a amizade homem e mulher é extremamente rica em termos de suporte emocional, mesmo porque é uma chance de entrar em contato com a forma de pensar do sexo oposto e com isso, se aprimorar em seus próprios relacionamentos amoroso.

É como ter um guia ao lado em uma expedição e quanto mais cada um puder rever suas idéias, opiniões e sentimentos, mais rico será para seu desenvolvimento pessoal. A advogada Karin Coltro descobriu no melhor amigo um suporte emocional forte quando se divorciou. Segundo ela, "somos confidentes e fico feliz por isso. Mais satisfeita ainda, fico em saber que ele é e sempre será meu melhor amigo, meu verdadeiro porto seguro".


O lado negro da força
Existe, porém, a contrapartida negativa da amizade homem-mulher: lidar com o parceiro alheio. Como ciúmes e sentimento de posse estão presentes na maioria dos casos, muitos relacionamentos não sexuais tendem a esfriar ou desaparecer quando do surgimento de um namoro ou casamento.

O site masculino americano Ask Men chegou a dar algumas dicas de como lidar com o melhor amigo entre elas arrumar uma namorada para o cara (se ele não tiver), estrategicamente conseguir que a namorada fale sobre ele (e assim descobrir qual o nível da relação) e até mesmo, em último caso, tentar de alguma maneira embaraçar o coitado, deixando-o bêbado ou algo assim.

Machismos à parte, em um mundo onde homens estão cada vez mais entrando em contato com sua porção feminina e as mulheres se colocando em lugares antes estritamente dominados pelo público masculino, ter uma relação de amizade com o sexo oposto acaba sendo quase estratégico. Como uma pessoa que sempre teve mais amigas que amigos, posso afirmar que as pessoas só tem a ganhar com isso. Mesmo se a tensão sexual estiver lá.

segunda-feira, maio 10, 2010

Boa semana a todos

Buenas galerinha, semana começando com um friozinho gostoso. Tudo isso depois de um final de semana cheio de emoções, conversas, risadas, detalhamento de fatos, isso porque nunca fazemos fofoca..rs... Ainda bem que tenho meus amigos pra dar risada, pra conversar, enfim...... muito bom
Segue piadinhas e dois slides muito legais pra começarmos a semana com um pouco mais de humor, rs.......




Brincando de Papai Mamãe

Joãozinho chega da escola e vai direto à geladeira pegar o sorvete. Sua mãe entra na cozinha e dá aquela bronca:


-Nada disso, Joãozinho. Isso não é hora de tomar sorvete. Está quase na hora do almoço... Vá lá fora brincar!

-Mas, mamãe, não tem ninguém para brincar comigo!
A mãe entra no jogo dele e diz:
-Tá bom, então eu vou brincar com você. Do que é que nós vamos brincar?
-Quero brincar de papai-e-mamãe.
Tentando não mostrar surpresa ela responde:
-Tá certo. O que é que eu devo fazer?
-Vá para seu quarto, vista o baby-doll e deite-se.
Pensando que vai ser bem fácil controlar a situação, a mãe sobe as escadas.
Joãozinho vai até o quartinho e pega um velho chapéu do pai. Ele encontra
um toco de cigarro num cinzeiro e o coloca no canto da boca. Sobe as escadas e vai até o quarto da mãe. A mãe levanta a cabeça e pergunta:
-E o que eu faço agora?
Com um jeito autoritário, Joãozinho diz:

-Desça logo e dê sorvete ao garoto!

ADMITA: VOCÊ PENSOU SACANAGEM, NÉ?

Vai Orar Alma pecadora ! Já !


A Arte de Enganar os Homens



A Arte de Enganar as Mulheres

domingo, maio 09, 2010

Com o Tempo

Com o tempo...
Você aprende que estar com alguém
só porque esse alguém lhe oferece um bom futuro,
significa que mais cedo ou mais tarde você irá
querer voltar ao passado...

Com o tempo...
Você se dará conta que casar só porque "está sozinho(a)",
é uma clara advertência de que
o seu matrimônio será um fracasso...

Com o tempo...
Você compreende que só quem é capaz de lhe amar
com os seus defeitos, sem pretender mudar-lhe,
é que pode lhe dar toda a felicidade que deseja...

Com o tempo...
Você se dará conta de que se você está ao lado
de uma pessoa só para não ficar sozinho(a),
com certeza uma hora você vai desejar não voltar a vê-la...

Com o tempo...
Você se dará conta de que os amigos verdadeiros
valem mais do que qualquer montante de dinheiro...

Com o tempo...
Você entende que os verdadeiros amigos se contam nos dedos,
e que aquele que não luta para os ter,
mais cedo ou mais tarde se verá rodeado
unicamente de amizades falsas...

Com o tempo...
Você aprende que as palavras ditas num momento de raiva,
podem continuar a magoar a quem você disse,
durante toda a vida...

Com o tempo...
Você aprende que desculpar todos o fazem,
mas perdoar, só as almas grandes o conseguem...

Com o tempo...
Você compreende que se você feriu muito um amigo,
provavelmente a amizade jamais será a mesma...

Com o tempo...
Você se dá conta de que cada experiência vivida
com cada pessoa, é irrepetível...

Com o tempo...
Você se dá conta de que aquele que
humilha ou despreza um ser humano,
mais cedo ou mais tarde sofrerá as mesmas humilhações e desprezos,
só que multiplicados...

Com o tempo...
Você aprende a construir todos os seus caminhos hoje,
porque o terreno de amanhã
é demasiado incerto para fazer planos...

Com o tempo...
Você compreende que apressar as coisas
ou forçá-las para que aconteçam,
fará com que no final não sejam como você esperava...

Com o tempo...
Você se dará conta de que, na realidade,
o melhor não era o futuro,
mas sim o momento que estava vivendo naquele instante...

Com o tempo...
Você aprende que tentar perdoar ou pedir perdão,
dizer que ama, dizer que sente falta,
dizer que precisa, dizer que quer ser amigo...
...junto de um caixão...
...deixa de fazer sentido...

Por isso, recorde sempre estas palavras:
"O homem torna-se velho muito rápido e sábio demasiado tarde".
Exatamente quando:
"JÁ NÃO HÁ TEMPO!"


sábado, maio 08, 2010

Quando se perde...

 

 

Quando se perde...

 

A gente perde quando não nos aceitamos como somos,

quando tornamos os problemas maiores do que eles são,

quando caímos e nos recusamos a nos levantar.

A gente perde quando nos deixamos de ver nos outros, algo de bom,

quando exigimos dos outros aquilo o que eles ainda não podem dar,

quando nos preocupamos somente conosco e deixamos de cuidar das pessoas.

A gente perde quando não dizemos a alguém o quão importante ele é para nós,

quando fechamos o coração impedindo-nos de nos doar,

quando não compartilhamos um sorriso, um gesto, uma palavra amiga.

A gente perde quando caminhamos mas não enxergamos a beleza da estrada,

quando não escutamos as coisas boas que nos sopram aos nossos ouvidos,

quando amanhece, anoitece e não agradecemos a Deus pelo nosso dia.

A gente perde, de verdade, quando percebe que o tempo passou

mas ainda estamos presos as dores do passado.

Hoje, comece seu dia ganhando, ao invés de perder.

Renove-se! A vida é energia em constante transformação!

Acredite em você, idealize o que você quer para sua vida.

Faça algo novo, diferente! Não desanime diante das dificuldades.

Compartilhe boas energias, tenha fé, esperança, coragem para continuar seu caminho.

Como dizem: "A vida é feita de sonhos" e

Quem não semeia amor, não colhe felicidade.


 

sexta-feira, maio 07, 2010

Final de Semana chegando.....

Bom minha gente, final de semana chegando e hoje não vou só indicar um filme e colocar o trailer, rs..... vou colocar o filme todo..... isso..... tem um esquema de ver somente 72 minutos, dai trava, mas dai depois de uma hora vai lá e volta da onde vc parou q vc vai conseguir ver. Na hora de clicar ali em cima do play, aparece depois um play verde dai abre o programinha que roda o filme, ali vcs procuram um quadrado com uma flecha, ele coloca em modo fulscreen, tela cheia...... dai depois quando travar, espera o tempo e tal e clica na barra aonde vc parou mais ou menos, sem muitas dificuldades.

O filme em questão é o o muito bom " Querido John"

Ultimamente tenho estado nostalgico, rs.... e por isso só estou indicando filmes assim legais, de esperança, sonho, amores impossíveis.

Dai não posso deixar de me lembrar da minha condição atual, e como sempre tenho usado isso aqui pra desabafar, rs.... não podia deixar de colocar minha frustração no sentido amoroso da minha vida.

Ontem ainda conversando com uma amiga minha, coloquei a situação de estar cansado e desistindo de tudo. Tô de saco cheio de esperar que alguma coisa aconteça e vou viver minha vida pensando somente em mim e nada mais.
Chega de ficar esperando alguém olhar pra mim e me achar suficiente...... Eu esparava tanto que chegaria um momento que alguém veria o quanto sou diferente, o quanto busco ser especial, e isso faria a pessoa me querer, me achar necessário para a vida dela. Mas a verdade não é assim, as coisas não são desse jeito e no final de tudo o que sobra são superficialidades, e as coisas bonitinhas dessa vida, casais se encontrando e passando tempo juntos e ótimos momentos só acabam existindo em filmes..... como esse :

Diálogo:

Ele: - Estou ficando preocupado.
Ela: - Preocupado com o que?
Ele: - Estou começando a achar você boa demais pra mim......

aaaaaaaaaaaaafffff, nem falo nada, rs....... aproveitem o filme....